Em defesa da justiça social

O trabalho se confunde com a dignidade do ser humano. As atividades laborais, quando desempenhadas em condições íntegras, contribuem para o aperfeiçoamento moral, a independência financeira e o fortalecimento das relações sociais entre os indivíduos. Por isso, uma sociedade verdadeiramente democrática, além de oferecer liberdade para escolha dos governantes, deve ser dotada de instrumentos que garantam justiça e oportunidade para todos. Nesse contexto, a batalha incessante do Ministério Público do Trabalho em defesa dos direitos trabalhistas está interligada ao exercício da imprensa livre e ao destemor dos jornalistas que entendem que seu ofício é um dos protagonistas da luta pelo desenvolvimento de uma sociedade mais justa.

Ronaldo Curado Fleury, procurador-geral do Trabalho